sexta-feira, 21 de março de 2014

A morte de Pátroclo

Pátroclo veste a armadura de Aquiles e parte
 para a batalha, apenas para ser morto por Heitor

Impressão gicleé por Henry Singleton
Estou lendo a Ilíada. Achei interessante o trecho a seguir. Pátroclo está liderando os aqueus num ataque contra os troianos. Apolo o envolve em escuridão, tira sua armadura e o golpeia. Euforbo o fere nas costas com a lança. Segue o texto de Homero:

«Quando Heitor viu o magnânimo Pátroclo recuar, ferido pelo bronze agudo, aproximou-se dele, atravessando as fileiras; e feriu-o, com a lança, no flanco, embaixo, empurrando o bronze através da carne. Com estrondo, caiu Pátroclo e grande foi a aflição nas tropas aqueias. Assim como o infatigável javali sucumbe ao ardoroso ataque de um leão: ambos, no pico de uma montanha, batem-se furiosos por uma magra fonte em que querem beber os dois; e o javali, arquejante, é vencido, à força, pelo leão; assim Heitor, filho de Príamo, tirou a vida do valente filho de Menoécio, que muitos homens matara, e, triunfante, proferiu estas palavras aladas:

“Pátroclo, pretendias saquear nossa cidade, roubar das mulheres troianas o dia da liberdade e levá-las, em teus navios, à tua pátria. Insensato! Diante delas, os velozes cavalos de Heitor se lançaram à batalha. E com meu pique, entre os bravos troianos, me distingo, afastando o dia fatal. Entretanto, aqui, hão de os abutres te devorar. Desgraçado! Apesar de todo o seu valor, não te ajudou Aquiles e, sem dúvida, quedando-se à parte, mil vezes te recomendou, a ti que marchavas: ‘Não voltes para mim, Pátroclo que os cavalos conduzem, para perto dos ocos navios, enquanto não houveres ensanguentado a túnica e rasgado o peito do mortífero Heitor.’ Assim, sem dúvida, falou ele, e persuadiu-te o espírito, insensato.”

Em tua fraqueza, tu lhe respondeste, cavaleiro Pátroclo:

“Agora, Heitor, triunfa bem. Eis que Zeus, filho de Cronos, e Apolo deram-te a vitória, eles que facilmente me mataram. Eles próprios arrancaram a armadura de meus ombros! Se vinte homens como tu me tivessem enfrentado, todos, de golpe, teriam perecido, suplantados por minha lança. Mas a mim, foram o destino funesto e o filho de Leto que me mataram e, entre os homens, Euforbo. Chegaste em terceiro lugar, e agora me despojas!

Entretanto, mais uma palavra ainda, e guarda-a bem guardada em tua alma: tu mesmo já não viverás por muito tempo. Perto de ti já se erguem a morte e o destino pujante. E serás vencido pela mão de Aquiles, o admirável Eácida.”

Disse, e foi o fim; envolveu-o a morte. Desligando-se-lhe dos membros, voou-lhe a alma para junto de Hades, lastimando sua sorte, deixando a virilidade e a juventude.

Embora ele estivesse morto, respondeu-lhe o glorioso Heitor:

“Pátroclo, por que me predizes o abismo fatal? Quem sabe se Aquiles, filho de Tétis de belos cabelos louros, não morrerá antes de mim, ferido por minha lança?”

Tendo falado, arrancou da ferida a lança de bronze, com o pé sobre o cadáver, que atirou, de costas, para longe do pique. E, sem demora, marchou contra Automedonte, semelhante a um deus, escudeiro do Eácida de pés ligeiros, desejando feri-lo. Este, porém , era levado pelos rápidos cavalos imortais, magnífico presente que os deuses haviam dado a Peleu.»

P.S.: É interessante como alguém que está morrendo consegue dizer tudo isso. E como é possível parar a batalha para conversar assim.

Não tem Cavalo de Troia na Ilíada
Aquiles conversa com seus cavalos
O escudo de Aquiles

Nenhum comentário:

Postar um comentário